quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

Sintomas de Saudades {Carta dos absolutos impossíveis}


Da minha carta aos apaixonados, encontrei a objetividade em que me encontro.
Cada rascunho em  que me permitir ser eu mesmo, está descrito seus gestos, jeitos e modos (perfeitos), donos de admirações alheias, donos da admiração de quem lhe escreve.
Essa carta tinha outras versões, mas encorajei-me de lhe fazer ler esta, pois nas outras, logo me pré declarava, e tudo ficou tão chato e clichê, que te daria vertigem, por sentir o amor de quem você não ama, pela milésima vez.
Entrando em avesso, descrevo o quanto predomina tais sentimentos de angustia, comprimindo dia após dia, meu coração: Um trem, á todo vapor, perfurou  estacionando em minha alma, tuas intensas rodas de metais, e com ele trouxe bagagens de lembranças, recordações, sempre deixando claro que um dia partiria, à todo vapor, sobre a trilha do caminho que me trouxe você, na estação do nosso primeiro encontro,  fazendo  perguntar-me o que eu faria com todas essas bagagens que sobrou, bagagem dura, pesada e melancólica.
Estilhado e  amordaçado por dúvidas e incertezas, hoje é indiferente, você me amar ou não. Não vou mais me permitir ser egoísta, querendo teus olhos dentro dos meus e brigando pelo seu eu te amo, de manhã, de tarde e de noite, você não é assim, você não me ama dessa maneira, são tantas outras pessoas que você deve gostar e amar, que eu me refugio nessa carta de adeus, e me junto aos impotentes que não nem a si mesmo se amam. Entendi sobre o que sinto e o que não sinto, sobre nossas vidas, sobre minha mão a tua, e também c o seu sorriso, que nada mais representa, do que minha felicidade.

quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

Saudosista

Suas mãos leves, á me abraçar.
Foge de mim, qualquer concentração, e eu não consigo parar pensar em seu sorriso.
Chove muito, e apesar dessa solidão, penso em você no meu quarto, me olhando timidamente, e colocando seus pés entre os meus, enquanto eu notei que em seus olhos, o brilho é excessivo (igual aos dos meus sonhos.)
E eu não encontro mais folego pra imaginar você por instantes -os mais rápidos-, me abraçando e me questionando o porque das auto-denominações em que eu próprio me encaixo.
Percebi tudo, e até sua forma de me perceber.
Então temos que ser amigos, e o confortante disso, eu já não sei mais.


terça-feira, 8 de janeiro de 2013

Falas do Inesquecível

" Eu tenho sorte, uma sorte confusa e escassa, mas ainda sim, sorte
Eu tenho medo, um medo maduro e profundo, mas ainda sim, medo 
Eu tenho vontades, de todos os tipos e em todos os sentidos, sempre vontade
Eu tenho um amor, um amor impossível e covarde, mas ainda sim um amor ... 
Eu tenho uma vida, eu a tenho e só. "

- Rafael Renan.

Conversas

Conforme minha lembrança.
Já esperei você responder algumas perguntas que me importaria, e tive borboletas no estômago. 
Então eu te vejo de muitas maneiras, das tantas fotos que você tirou, e não percebendo o quanto o seu sorriso e o motivo dele, me implicaria saber quem é você.
Andei explicando ao meu íntimo, da tua viva, e do grande problema que causaria á ele ter-me nela, falei de amor (dos seus antigos), e como era melhor manter-me afastado dele; arriscando ser feliz, preocupando-se com o seu sorriso.


segunda-feira, 7 de janeiro de 2013

Carta de Amor na Garrafa de Vinho

Enxergo qualquer cor, nesse escuro;
Temia sorrisos e aprendia com carinhos, mas temia mesmo assim o dito Destino, embarcador de histórias esquecidas por entre frascos de bebidas, que delas já  embriagou-se amantes e namorados, reis e mortos, ruivos e ríspidos, chorosos e santos.
Enxergo a lua em seu olhar.


Pretencioso

- Então num dia de sol, ele me disse as palavras doces, e eu sóbrio, me achava louco.

sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

Do Abraço Ao Furto


Toda vez que ele importava-se em amar, o amor lhe faltaria.
E nos momentos que suponho ter carinho, é só o absurdo da carência que me  faz enxergar ilusões.
Mas qual erro é esse que te obriga a fugir de prisões confortáveis, prisioneiro?
Se quem te prende é o amor, que lhe diz: -eu te amo- sem questionar ser o dono do seu coração!
Por inteiro se sentia incapaz de refletir sobre o que tua consciência lhe gritava, e no fundo no fundo, sabia que era melhor parar com tais abusos a quem era teu.
Mas de tantas confusões sobre a realidade alheia e a sua mentalidade mesquinha, resolveu por hora tirar seu coração por inteiro e com força de um morto vivo, joga-lo no mar, com a esperança de sentir (somente) amor ao som da água.